segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Pandemonium


De vez em quando cruzamo-nos com um jogo que nos trás a sensação de uma agradável tarde ensolarada de Domingo, quando tínhamos oito anos de idade, e apenas víamos alguns desenhos animados na TV e depois íamos jogar a qualquer coisa sem nos preocuparmos com o que se passava no resto do mundo. E hoje é o vosso dia de sorte, pois Pandemonium é um desses jogos.

Pandemonium é um jogo de plataformas "semi" 3D. As cores brilhantes e os cenários de fundo espantosos tornam este jogo numa pura delicia para o olhar. Embora os personagens pareçam um pouco desengonçados, eles estão bem feitos para a altura em que o jogo surgiu. À medida que se segue o caminho, todo o cenário vai rodando, incluindo o cenário de fundo. É possível ver as coisas a aproximarem-se desde uma grande distância em alguns ângulos da câmara por causa disso, e também se conseguem ver de vez em quando partes que se vão visitar no futuro no cenário de fundo do nível em que se está. E se acontecer que o aspecto visual deste jogo desagrade a alguém, então esse alguém só gosta de jogos de aventuras em texto. Caso contrário, certamente que todos irão adorar a maneira como este jogo é apresentado.

A jogabilidade em si é bastante fácil. Primeiro escolhe-se o personagem com que se vai jogar, o "jester" (ou o "bobo") ou a rapariga, depois anda-se pelas plataformas eliminando-se os inimigos e recolhendo-se moedas. Apanhando-se uma centena de moedas, ganha-se uma "vida extra". Depois tem de se apanhar outras cem, portanto serão precisas duzentas. Felizmente existem "upgrades" que temporariamente multiplicam o numero de moedas que se apanham por dois, aumentando a sim a rapidez com que se consegue chegar a esse objectivo. Além desse tipo de "upgrade" existe também um globo que dará ao personagem uma aura de luz. Essa aura permite disparar contra os inimigos, ou simplesmente disparar, se não houverem inimigos por perto. Se o personagem se "ferir", perderá essa aura. Uns quantos pontos negativos têm a ver com o números de "upgrades". De vez em quando dois "upgrades" não são suficientes. E também, embora muito raramente, a câmara coloca-se num ângulo em que não é possível ver o que está à frente, ou fica tudo tão escuro que não se sabe se o personagem está a pisar o caminho ou está a cair por um precipício.

Todos os níveis deste jogo são bonitos e grandes. Há uma média de três partes neles. Quando se "morre", regressa-se ao início da parte onde se estava. Quando o jogo termina ("game over") é ainda possível, com a "password" que é apresentada no inicio de cada nível, recomeçar novamente no inicio dos níveis já ultrapassados, para que não tenha que se repetir tudo novamente. Não que isso seja uma grande chatice, até porque é sempre divertido de se jogar, mas pode ser frustrante, especialmente nas partes mais complicadas, ou, como no meu caso, as teclas ficarem encravadas e o personagem automaticamente "suicidar-se" sem que nada possa ser feito para o contrariar. Essas situações são no entanto muito raras e, além disso, o jogo oferece uma grande variedade, o que permite que se continue a gostar dele, apesar de se poder ficar "encalhado".

Pandemonium é um jogo mau. É terrível. Para quem não tem nenhum gosto e pense que o "vinagre" dá uma boa sopa. Todos os outros irão certamente adorá-lo, tal como ele merece.



jogos antigos old gamez
jogos antigos old gamez
jogos antigos old gamez
jogos antigos old gamez


DOWNLOAD AQUI

3 comentários:

Anônimo disse...

putz....
q saudade desse trem

Spam disse...

É um jogo parecido com Mário, então.

Bárbara Folatre disse...

quem tem um site qeu de pra baxa o jogo completo, a anos to atras desse jogo , eu tinha o cd mais perdi : por favor alguém posta :]
ou manda pro meu email , ai coloka pandemonium que eu vo sabe, obriga :G